Notícias

Infraestrutura e BNDES estudam modelo para leiloar rodovias e Porto de Santos

Fonte: Poder 360
 
Serão realizados a partir de 2022. Estudos apresentados em 2021. Promete retorno de até 12%.

 
O Ministério da Infraestrutura e o presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Social), Gustavo Montezano, estudam modelos de concessões de 15 trechos de rodovias, que somam 7.200 quilômetros, em 13 Estados brasileiros. O Porto de Santos, maior da América Latina, também será avaliado.
 
O ministro Tarcísio Gomes de Freitas e Montezano participaram de uma live promovida pelo BNDES nesta 5ª feira (21.mai.2020).
 
A estimativa é que os primeiros resultados dos estudos sejam apresentados no 1º trimestre de 2021 e que os leilões ocorram a partir de 2022.
 
O ministro garantiu que esses novos projetos de concessões irão render retorno de 10% a 12% aos investidores.
 
“A parceria com o BNDES é importante. Começamos a estudar também a desestatização da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa) e acabamos de fechar o acordo para avaliar o Porto de Santos. Já temos investidores interessados”, disse o ministro.
 
“Até 2022, 45 projetos de aeroportos, 24 de portos, 1.800 quilômetros de ferrovias e mais de 19.000 quilômetros de rodovias terão sido leiloados pelo governo federal”, informou a assessoria da pasta.
 
“Outros 13.000 quilômetros de ferrovias devem ser renovados no mesmo período. A carteira de projetos do Ministério da Infraestrutura prevê R$ 233,5 bilhões em investimentos privados nos próximos anos”, concluiu.
 
O presidente Gustavo Montezano afirmou durante a live do banco que não faltarão recursos para o setor de infraestrutura.
 
“Nossa agenda de infraestrutura é mais importante do que nunca. Projetos bem modelados são fundamentais para a retomada da economia. Tivemos evoluções nas últimas semanas, tanto no programa de concessões rodoviárias quanto no de portos”, disse.
 
Em agosto, a pasta deve realizar os primeiros leilões dos terminais de celulose no Porto de Santos (STS14 e STS14A).
 



Imprimir Indicar Comentar

Comentários (0)



Compartilhe



Voltar