Notícias

Porto de Santos realiza simulado de atendimento a caso suspeito de novo coronavírus

Fonte: Codesp
 
Ação é a primeira realizada em portos no país
 
 
A Santos Port Authority (SPA), responsável pela administração do Porto de Santos, realizou, nesta quarta-feira (12), um exercício simulado de atendimento a ocorrência de chegada de navio com caso suspeito de contaminação de tripulante pela nova variante do coronavírus (2019-nCov). A embarcação utilizada foi o Amalthia Tanker, cedido pela Transpetro para participação no simulado. A SPA determinou a atracação no cais do armazém 35, que está inoperante. Esse é o primeiro simulado de atendimento de caso suspeito em portos no Brasil.
 
O objetivo do exercício foi testar o protocolo de atendimento de emergência, envolvendo a SPA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Capitania dos Portos de São Paulo, Receita Federal e equipes de saúde dos governos estadual e municipal.
 
O cenário montado começou na data de ontem (terça, 11), quando um comunicado foi emitido pela Anvisa à SPA, reportando a presença de um tripulante com passagem recente por zona de risco, com sintomas que poderiam ser atribuídos a um caso suspeito. A partir daí, a SPA acionou o Plano de Contingência do Porto de Santos (PCPS), que prevê um fluxo de comunicação entre as autoridades competentes e ações coordenadas de resposta para o atendimento da ocorrência.
 
A Guarda Portuária isolou o local de atracação do navio, procedimento que será feito da mesma forma caso haja um caso real. Os responsáveis pela amarração foram devidamente paramentados com Equipamento de Proteção Individual (EPIs) adequados para o caso e orientados com relação ao seu uso e descarte por funcionários da Superintendência de Meio Ambiente, Saúde e Segurança do Trabalho da SPA. Uma funcionária da SPA fez o papel do tripulante doente.
 
Após a atracação, a Anvisa e os órgãos de vigilância epidemiológica estadual e municipal subiram a bordo da embarcação para realização do exame clínico do paciente e  investigação junto ao restante da tripulação, etapa esta que foi sucedida pelo acionamento do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU), que efetuou a retirada e encaminhamento do tripulante com caso suspeito para o local de atendimento médico.
 
Todo o exercício foi acompanhado por observadores, que fizeram anotações que serão usadas na avaliação do exercício e propostas de melhoria, em reunião das equipes e órgãos envolvidos. A Praticagem de Santos teve participação ativa do simulado, que também foi acompanhado pela Marinha do Brasil e Receita Federal. Cerca de 40 pessoas participaram do exercício.
 
Com essa ação pioneira em cenário nacional, a Santos Port Authority e a Anvisa mantêm o Porto de Santos ainda mais preparado para atender às necessidades de emergências de saúde, tanto para risco de contaminação com o novo coronavírus quanto outras ameaças que possam vir por meio do transporte marítimo. “Todo o esforço realizado tem como objetivo garantir que o trabalhador possa estar seguro na operação portuária”, disse o Superintendente de meio Ambiente, Saúde e Segurança do Trabalho da SPA, Mauricio Bernardo Gaspar Filho.
 
A elaboração do PCPS foi iniciada pela SPA no ano de 2019, visando congregar os diversos planos de emergência existentes no complexo portuário santista, fortalecendo a comunicação entre as autoridades intervenientes e auxiliando no planejamento e adoção das ações necessárias para uma gestão eficiente durante incidentes/acidentes que possam impactar total ou parcialmente as operações do Porto Organizado de Santos.
 



Imprimir Indicar Comentar

Comentários (0)



Compartilhe



Voltar