Notícias

Realinhamento salarial: reunião entre Codesp e Sindaport acontece nesta segunda

Denise Campos De Giulio

A Diretoria de Administração e Finanças da Codesp demonstrou mais uma vez total despreparo para responder pelo setor de Recursos Humanos da estatal. Talvez seja esse o principal motivo pela ausência de autonomia do titular da cadeira, atribuída ao Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais, o temível DEST, órgão do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Sem conhecimento de causa e autonomia, questões importantes ficam paralisadas e quem perde com isso são os funcionários da empresa.
 
O mais recente episódio envolve a polêmica sobre o realinhamento salarial. Tendo ao lado seu assessor para assuntos intelectuais, o diretor apresentou proposta sobre o tema para os demais diretores da Codesp, a qual, após avaliada pelo Conselho de Administração da empresa, foi encaminhada para Secretaria de Portos.
 
Talvez ignorando o fato de que a equipe do secretário de Portos, Leônidas Cristino, solicitou esclarecimentos sobre nada menos do que 11 itens da proposta, o ilustre diretor e seu braço direito passaram a alardear notícias de que a proposta teria sido aceita pela Secretaria de Portos (SEP), e pelo Consad. Os comentários acabaram criando certa expectativa entre os colaboradores, que aguardam ansiosos a evolução do processo de realinhamento salarial.
 
Ainda que aprovada pelo Consad e pela própria SEP, a proposta dependerá de aprovação do DEST, que não se manifestou a respeito. Em função dos rumores, o presidente do Sindaport, Everandy Cirino dos Santos, encaminhou ofício à Codesp solicitando uma reunião sobre o tema. "Queremos saber o que efetivamente existe de concreto nessa boataria criada apenas para desestabilizar os trabalhadores da Companhia".
 
Segundo o sindicalista, a Autoridade Portuária comete o erro verificado no exercício anterior. "Os erros do ano passado parece que não serviram de lição para alguns executivos da Codesp". Na opinião de Cirino, antes de a tornarem pública, a proposta deve ser submetida a quem realmente manda. Todos nós sabemos que quem manda é o senhor Murilo Barella, diretor do DEST. Portanto, querer plantar anedotas entre as categorias acaba agravando os ânimos do pessoal.
 
Até o momento o Sindaport não recebeu qualquer informação sobre o resultado da recente reunião ocorrida em Brasília. "Não fomos convocados e não tivemos acesso a nenhuma informação, por isso solicitei o agendamento de uma reunião em caráter de urgência com a direção da Codesp. A reunião ocorre às 15 horas desta segunda-feira." Vamos saber o que é verdade e o que é balão de ensaio".



Imprimir Indicar Comentar

Comentários (0)



Compartilhe



Voltar