Notícias

No apagar das luzes

Fonte: Sindaport / A Diretoria

 
Começa a ser desenhada nos últimos suspiros de uma gestão marcada por ações desprovidas de respaldos jurídicos e técnicos, a TERCEIRIZAÇÃO DOS PORTÕES de acesso à área secundária do Porto. A empresa EMBRASE que presta serviço de vigilância para a LOUIS DREYFUS no corredor de grãos dos armazéns 38, está desde o dia primeiro de outubro instalada no portão 20, onde vem segregando com anotações de veículos e pessoas e até impedindo o acesso de veículos de trabalhadores que se dirigem a área de acesso público.
 
Somos conhecedores das futuras obras que ocorrerão no local para a adequação das operações que serão desenvolvidas, mas nada explica essa entrega do posto de trabalho. Uma vez que a atividade é prerrogativa da Guarda Portuária, como consta no PLANO DE SEGURANÇA DO PORTO DE SANTOS, contraria também a LEI 7.102/83 e a Portaria 3.233/12-DG/DPF que trata das atribuições de vigilantes, uma vez que estão trabalhando fora dos muros da Empresa. Toda essa operação com o conhecimento da Chefia, que faz uso de um dos seus costumeiros “mantras”, “NÃO TEMOS EFETIVO PARA GUARNECER”.
 
E mais uma da série de ações desqualificadoras da Guarda Portuária, como a famosa jornada de 12 horas, imposta de forma aliciadora por horas extras e antecipações, alegando ser OPERAÇÃO ITATINGA, mas usando pretexto para a inclusão do PATRULHAMENTO MARITIMO. E não para por aqui, temos a inversão de interpretação da Portaria 350 com o intuito de acabar com o centenário nome da GUARDA PORTUÁRIA por unidade de segurança, criando nomenclaturas para as funções de chefia que não constam no CBO.
 
Sem direcionamento ou planejamento vive a Guarda Portuária nos dias de hoje. Será intencional ou pura incompetência? 
 
Esse Sindicato entende que as ações são totalmente prejudiciais a GUARDA PORTUÁRIA e com isso entrará com uma representação junto ao MPT contra essa “cereja” no bolo das maldades feitas até agora que é a TERCEIRIZAÇÃO.
 



Imprimir Indicar Comentar

Comentários (1)

Vicentino
Data: 21/10/2016 - 17h47
O Gate 18 faz tempo que foi passado para a outra empresa e não é guarnecido pela Guarda Portuária.
O Gate 16 também, o Gate 22 idem e porque o SINDAPORT não fez nada? Não sabia?


Compartilhe



Voltar